conexão em rede

Instituto E+ Diálogos Energéticos se posiciona como um laboratório de políticas públicas plural e independente, que integra uma rede internacional de think tanks dedicados a contribuir com as transições energéticas, no Brasil e no mundo

 


soluções objetivas

Instituto E+ atua na criação de soluções pragmáticas, a partir de uma compreensão alinhada das particularidades e demandas de diferentes setores, formuladas para contribuir com a transformação energética brasileira




conhecimento avançado

Instituto E+ promove diálogos permanentes e qualificados entre os atores envolvidos nesse desafio, apoiado em uma base técnico-científica sólida. Com abordagem multidisciplinar, nossa equipe e nossos parceiros pesquisam, produzem, reúnem e oferecem conhecimento sobre o que existe de mais avançado em termos de transição energética. Isto inclui o desenho de novos arranjos regulatórios, institucionais e financeiros e também acomoda a revolução tecnológica sem precedentes pela qual passa hoje o setor energético. Essa transformação vem modificando a maneira de produzir, distribuir e consumir energia.







Instituto E+ Diálogos Energéticos é incubado pelo Instituto Clima e Sociedade (iCS) para posteriormente tornar-se uma organização autônoma e independente. A participação intensiva do time do iCS em diálogos internacionais sobre transição energética e economias de baixo carbono inspirou sua criação.

Fundada em 2018, o E+ já surgiu conectado a uma rede global de think tanks - a International Network of Energy Transition Think Tanks (INETTT) - liderada e apoiada pela Agora Energiewende. Essa rede promove o intercâmbio de experiências e conhecimentos para impulsionar a transição energética no mundo, e muitos dos estudos que formulou têm fornecido evidências para a promoção de medidas em diferentes contextos.

Desde então, com investimento e apoio do iCS e de Agora, o E+ vem ampliando e fortalecendo uma rede brasileira de stakeholders e parceiros, produzindo e reunindo conhecimento sólido e potencializando soluções para uma transição energética disruptiva no Brasil.



E+propósito

A energia é estruturante e um vetor de mudança da economia global. O Brasil tem vocação para ser líder nessa transição. Para potencializar essa evolução sistêmica existe o Instituto E+ Diálogos Energéticos. Um lugar de diálogo qualificado, fundamentado, técnico e plural para a evolução energética integrada, dinâmica e eficiente no Brasil.

E+missão

Promover discussões qualificadas e permanentes que repercutam de maneira significativa no longo prazo para que as estratégias da transição energética brasileira contemplem fundamentos técnicos, econômicos e as perspectivas da sociedade.

E+visão

Um setor energético dinâmico, eficiente e integrado que contribui para o Brasil e o posiciona como o líder da economia global de baixo carbono.





intercâmbio de conhecimentos para impulsionar a transição energética no mundo









independência
um valor fundamental para garantir a isenção institucional e uma perspectiva sensata e não-partidarizada

diálogo
ferramenta essencial para a sustentabilidade, o pensamento construtivo e disruptivo e engajamento da sociedade

sustentabilidade
equilibrar interesses econômicos, ambientais e sociais



tecnologicamente agnóstico
não somos contra e nem a favor de nenhuma tecnologia específica

rigor técnico científico
nossos trabalhos são sempre cientificamente embasados e tecnicamente consistentes

pragmatismo e objetividade no longo prazo
buscamos soluções pragmáticas com repercussão expressiva no longo prazo






Despojado, por princípio, de interesses comerciais ou de pressões políticas, por ser uma organização independente, o E+ se propõe a promover um processo inclusivo, plural e multilateral de construção coletiva. Com o apoio do E+, sociedade civil, academia, negócios e governo discutem, com base em rigor científico, inovação e transparência, estratégias politicamente viáveis sobre as quais legislações, normas e marcos regulatórios favoreçam uma evolução disruptiva do setor de energia.






luiz augusto barroso
presidente do E+ painel

Diretor-presidente da PSR. De 2016 a 2018 foi presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE-MME). Em 2018, foi também visitante na Agência Internacional de Energia (AIE), atuando no programa Clean Energy Transition Program, que estuda a transição energética em economias emergentes. Antes de juntar-se à EPE, Luiz Barroso foi sócio e diretor técnico da PSR por 17 anos. É também pesquisador associado da Universidade de Comillas, em Madrid, e professor da Escola de Regulação de Florença, na Itália. É editor associado da IEEE Power & Energy Magazine. Foi editor associado da revista IEEE Transactions on Power Systems e da IEEE Transactions on Smart Grids. É o chair do Power Systems Operations, Planning and Economics Committee da IEEE Power and Energy Society, onde é membro sênior. Recebeu, em 2010, o IEEE PES Outstanding Young Engineer Award. Foi coordenador do comitê de Mercados de Eletricidade e Regulação (C5) do Cigré Brasil de 2010 a 2014 e é membro do steering committee do SC C5 do Cigré Internacional. É autor e coautor de mais de 200 artigos científicos em periódicos e conferências em temas relacionados a mercados competitivos de energia. É graduado em matemática e possui doutorado em Engenharia de Sistemas (otimização) pela COPPE/UFRJ, Brasil.

ana toni
diretora-executiva do instituto clima e sociedade

É também sócia-fundadora do GIP (Gestão de Interesse Público). Economista e doutora em Ciência Política, Ana possui longa trajetória no trabalho e apoio a projetos voltados à justiça social, à promoção de políticas públicas, à área do meio ambiente e mudanças climáticas e à filantropia. Ana foi presidente do Conselho do Greenpeace Internacional (2010 e 2017), diretora da Fundação Ford no Brasil (2003-2011) e da ActionAid Brasil (1998-2002). Também foi membro do conselho do GIFE, WINGS, ITS e Wikimedia e, atualmente, é integrante da Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade e dos conselhos da Agência Pública, Gold Standard Foundation, Instituto Escolhas, ClimaInfo, Instituto República, Fundo Baobá para a Equidade Racial e Transparência Internacional.



munir y. soares | coordenador executivo do E+ diálogos energéticos
Doutorando em Regulação e Planejamento de Energia Elétrica na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), engenheiro elétrico pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) com especialização pela École Centrale de Lyon (ECL) e mestre em Política e Planejamento Energético também pela USP. Coordenou o programa de Energia e Clima do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) e o programa do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV). Também atuou em diferentes empresas de consultoria. Nos setores de Energia, Indústria de base e Infraestrutura, trabalhou junto com empresas, governos e instituições multilaterais. Coordena a estruturação e a implantação do plano de trabalho da iniciativa E+ Diálogos Energéticos.

roberto kishinami | program officer do ics
Coordenador de portfólio de Energia do iCS. Mestre em Física pela Universidade de São Paulo (USP), atua como especialista em energia e mudanças climáticas há 15 anos. Presta consultoria nessas áreas para empresas de energia, instituições financeiras e associações setoriais, entre outras. Seu assessoramento é voltado aos investimentos, dentro do planejamento, para inserção estratégica em mercados globalizados, tendo os critérios de baixo carbono e impacto ambiental como fatores competitivos. Foi membro do conselho internacional da ActionAid e diretor do Greenpeace no Brasil de 1994 a 2001.


philipp daniel hauser | gerente sênior de projetos de transição global de energia
Gerente sênior de Projetos de Transição Global de Energia de Agora Energiewende. Responsável pelas políticas globais de energia e clima e pela expansão das atividades da Agora na América Latina. Desta posição, apoia parceiros locais no Brasil e no México na solução dos desafios energéticos específicos de cada país, e traz experiências alemãs e europeias para a conscientização dos tomadores de decisão da América Latina. Antes de ingressar na Agora, trabalhou por mais de dez anos para a ENGIE, também na América Latina. Como vice-presidente de Transição de Energia e Mercados de Carbono, coordenou o desenvolvimento de projetos de mitigação de gases de efeito estufa (GEE), bem como discussões sobre a sustentabilidade da produção atual e sobre questões estratégicas nos campos da política climática e da transição energética. De 2006 a 2008, foi responsável pelo desenvolvimento de projetos de mudança climática da EcoSecurities no Brasil, com foco na mitigação de GEE com energias renováveis, conservação de florestas e uso de biomassa sustentável na indústria. É químico pela Albert-Ludwigs University Freiburg e possui MBA em Administração de Empresas e Finanças pelo COPPEAD/UFRJ, no Brasil.