buscar formas disruptivas de contribuir com a transição energética brasileira

 


Inspirada na International Network of Energy Transition Think Tanks (INETTT), da qual fazemos parte, e no modelo Agora Energiewende, nossa metodologia se baseia no diálogo, na reunião e disponibilização do conhecimento, para apoiar a transformação energética brasileira baseada em fundamentos técnicos e econômicos e permitindo a viabilização de uma matriz energética brasileira de baixo carbono


 


Em interação com os think tanks integrantes da International Network of Energy Transition Think Tanks (INETTT) e em diálogo permanente com especialistas e stakeholders no Brasil, o E+ está constantemente monitorando os desafios e soluções da transformação energética mundial. A partir desses inputs e das discussões do E+ Painel, o E+ consegue ser uma caixa de ressonância da perspectiva da sociedade, orientada pelo interesse público.


Essas questões, alimentadas por conhecimento técnico-científico, vão se desdobrando em soluções e propostas pragmáticas e tecnicamente fundamentadas, para subsidiar a formulação de políticas e a tomada de decisão. Esse processo catalisa a transição energética brasileira.

Instituto E+ busca identificar e antecipar tendências e barreiras à construção de um setor energético de baixo carbono e desenvolver, por meio de uma equipe composta por diferentes perfis e expertises, formas cientificamente sólidas e politicamente viáveis de responder a essas questões, sejam elas econômicas, tecnológicas ou políticas. Este processo acontece em diálogo permanente com stakeholders e com a sociedade e produz benefícios concretos para todos.





O E+ Painel cumpre o papel de indicar as questões fundamentais que terão que ser respondidas para que o caminho em direção à inevitável transformação energética no país, visando uma matriz energética de baixo carbono, seja realizado dentro de sólidos princípios técnicos, econômicos, financeiros e regulatórios.



Um grupo de personalidades brasileiras notáveis se reúne periodicamente a convite do E+ e, justamente por meio desse diálogo, é que emergem as questões e reflexões prioritárias para a agenda de transição energética do país.




E+posicionamento estratégico


Buscar formas disruptivas de contribuir com a transição energética é um desafio que exige mais do que estar atualizado com o que há de mais avançado no Brasil e no mundo: é preciso antecipar tendências, traçar hoje o caminho para enfrentar os desafios que surgirão no futuro. Quanto mais cedo essa reflexão acontece, maior seu poder de influência e menor o custo de mudança. Assim, catalisa-se o processo de identificação e concepção de soluções. Esse posicionamento permite ao E+ atuar sempre de maneira propositiva e pragmática, com propostas de políticas conscientes.



 


O E+ se posiciona ao longo do processo de políticas públicas com maior ênfase na fase de formulação. No entanto, o ciclo de políticas públicas no Brasil exige um intenso debate na etapa de construção de agenda e formulação, e também um monitoramento constante, tanto no processo de decisão quanto no de implementação e avaliação.

Na fase de monitoramento, os especialistas E+ acompanham a implementação das soluções propostas até a maturidade, a fim de retroalimentar seu processo com os aprendizados decorrentes das etapas anteriores.